segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Vivendo a Palavra...

A ORAÇÃO RELACIONAL
Deixar-se conduzir pela Palavra de Deus


 A Regra Carmelitana traz como exortação a relação com Deus por meio da meditação contínua de sua Palavra. Esta é nossa raiz relacional. Já com a reforma empreendida por Santa Teresa, fica claro que para a Santa este aspecto relacional é de suma importância: oração é um trato de amizade com Aquele que sabemos que nos ama. Como interpretar isso? A postura primordial na relação é aquela onde as pessoas se colocam tais quais são e estão.
Aqui cabe ressaltar o valor da palavra amigo, já que a Santa refere-se a um possível trato de amizade. A visão de amigo é geralmente alguém próximo, em quem confiamos, que gostamos de encontrar e que nem sempre é necessário dizer alguma coisa. Este é o ponto chave da oração teresiana: oração é igual a relação. Estar com Deus Pessoa. E, na continuidade do dia trazer presente várias vezes a sua imagem. Diz a santa: imagine-o acolhendo a Samaritana, afagando as crianças, perdoando a pecadora. Insiste: encontramos Deus até mesmo entre as panelas.
Para simplificar, Santa Teresinha diz, partindo de sua própria experiência: a oração é um simples alçar de olhos ao céu.

A oração teresiana quer nos colocar numa relação de liberdade, onde vamos ao encontro do Rei que habita dentro do Castelo de noss’alma com tudo aquilo que somos e temos.
Postar um comentário