Beatificação de Chiquitunga


O Carmelo está em festa: aprovado milagre para beatificação da Venerável Maria Felícia de Jesus Sacramentado (Chiquitunga)

No dia 06 de março de 2018, o Papa Francisco recebeu em audiência a Sua Eminência Reverendíssima Cardeal Angelo Amato, S.D.B, Prefeito da Congregação para a Causa dos Santos. Na audiência o Papa autorizou a promulgação de alguns decretos. Dentre eles consta a declaração do reconhecimento do milagre atribuído à intercessão da religiosa Carmelita Descalça do Paraguai, Maria Felícia de Jesus Sacramentado (Chiquitunga). A beatificação será no dia 23 de junho de 2018.
As promulgações autorizadas pelo Santo Padre na audiência também possibilitarão a canonização de beato Paulo VI (Giovanni Battista Montini), Sumo Pontífice, e do beato Oscar Romero, arcebispo de São Salvador, que foi martirizado em 1980.

Breve Biografia

Maria Felicia Guggiari Echeverría nasceu em Villarica do Espírito Santo, Paraguai, em 12 de janeiro de 1925. No seio de uma família cristã. Seu pai se chamava Ramón Guggiari e sua mãe Arminda Echeverría.
Em 1941 Maria Felícia ingressa na Ação Católica de Villarica, na qual serve a Deus por meio da catequese com as crianças, ajudando os jovens trabalhadores, estudantes universitários e servindo aos pobres, doentes e idosos em suas necessidades materiais e espirituais. A ação católica, como organização dos leigos para o apostolado, entrou apaixonadamente em seu coração. Ela desejava ser santa para poder dar algo aos demais.
A serva de Deus nunca descuidou dos atos de piedade que comumente são aconselhados pelos diretores da vida espiritual: Meditação, Missa e Comunhão diária, além dos quinze mistérios do Rosário. Uma alma habituada a uma intima união com Deus.
Chiquitunga quis dedicar-se ao apostolado a à oração, melhor ainda, ao apostolado pela oração. E fez sempre o possível para resolver seu grande problema: “Deus meu, que será de mim? Servi-Te, servir-Te, servir-Te com integridade de vida onde quer que seja, porém, consagrando-te minha pureza e virgindade” (Diário de Vida, pg. 59). 
Durante muito tempo ela guardou em sua alma o desejo de ser missionária, mas Nosso Senhor tinha para ela outros propósitos. Aos 30 anos, no dia 02 de fevereiro de 1955 entra no mosteiro das Carmelitas Descalças de Assunção, onde toma o hábito da Virgem Santíssima no dia 14 de agosto do mesmo ano e recebe o nome de Maria Felícia de Jesus Sacramentado e após um ano fez seus votos religiosos nas mãos da Madre Teresa Margarida do Sagrado Coração.


          Quatro anos após sua entrada no Carmelo, em 28 de abril de 1959, em decorrência de uma hepatite infecciosa, a serva de Deus partiu para as alegrias da vida eternidade, tinha então 34 anos. Suas últimas palavras foram: “Jesus te amo! Que doce encontro! Virgem Maria!”. 





Fontes: 

- PRIETO, Juan Cipriano. Um lírio de la Acción Católica Paraguaya. 4 ed. 

Postar um comentário