sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Centenário da chegada dos Teresianos no Sudeste















Pequeno histórico da chegada dos frades Carmelitas Descalços no Sudeste do Brasil

4. Partida e chegada dos quatro pioneiros

O final do século XIX e a primeira metade do século XX foi um período de chegada no Brasil de muitos missionários das modernas congregações nascidas na Igreja nestes tempos. Os Descalços também conhecem naquela época uma grande expansão missionária. Neste clima, o pedido de D. Assis aos Carmelitas Descalços da Província Romana, de enviarem missionários para sua Diocese, encontrou acolhida entusiasmada no coração da Província. Frei Rodrigo de São Francisco de Paulo era o Provincial de turno que em 1910 tudo prepara para que a missão se inicie: apresenta o pedido ao conselho da Província, percebe por parte dos frades a acolhida, vai em busca dos frades dispostos para a empreitada, faz o pedido à Ordem. Depois dos trâmites legais e das devidas autorizações, inclusive por parte de Fr. Ezequias do Sagrado Coração, Geral da Ordem, passa à preparação da documentação dos frades escolhidos para partirem no início do ano seguinte. Os pioneiros da missão no Brasil são os sacerdotes Fr. Arcanjo de São Pedro, Fr. Marcelino de Santa Teresa, Fr. Mauro de São José e o irmão-leigo Fr. Afonso de Santo Agostinho.
Eles partem do Porto de Gênova no dia 11 de março a bordo do Navio de propriedade do Lloyd Italiano de nome Cordova (rebatizado como Rio de Janeiro em 1912 e em 1913 chamado com o nome de origem, foi torpedeado e afundado perto de Cape Armi, na Itália, em 1918), colorido de amarelo e preto na chaminé e atraca no porto do Rio no dia 26 de março, depois de 16 dias de viagem transatlântica.
Os frades chegam no Brasil no ano em que governava o país o militar Hermes da Fonseca, no ano em que os marinheiros se revoltaram no Rio contra a injusta chibata, no ano da fundação de um clube de imigrantes italianos (o guarani, de Campinas, fundado em 2 de abril), num ano em que, no dizer de Nelson Rodrigues, "ninguém bebia um copo d'água sem paixão".




Após chegarem ao Rio de Janeiro, os quatro expedicionários vão a cavalo para o Sul de Minas e chegam a Pouso Alegre no dia 02 de abril.
Postar um comentário