sexta-feira, 29 de agosto de 2014

«Ó Jesus!
Se eu pudesse dizer a todas as pequenas almas
quão inefável é a Tua condescendência!...
Sinto que, se por um impossível,
encontrasses uma alma mais débil,
mais fraca do que a minha,
deleitar-Te-ias a cumulá-la de favores ainda maiores,
se ela se abandonasse com inteira confiança
à Tua misericórdia infinita.»

Santa Teresa do Menino Jesus | 1873 - 1897

Manuscrito A,5vº

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Vida interior...

26 de agosto
Em nossa Ordem do Carmelo Descalço
TRANSVERBERAÇÃO DO CORAÇÃO DA
SANTA MADRE TERESA DE JESUS

«Eu vim lançar o fogo à terra e só quero que ele se ateie» (Lc 12, 49). Este fogo é o amor de Deus que em Santa Madre Teresa de Jesus,  foi derramado com tal abundância que abrasou o seu coração. A transverberação é a manifestação da força do amor de Deus aceite, desejado e vivido pela Santa no seu matrimônio espiritual. Este fenômeno místico é-nos explicado por S. João da Cruz (cf. Ofício de Leitura) e apresentado no seu significado eclesial pelos textos da liturgia.


 "Via um anjo ao pé de mim, para o lado esquerdo, em forma corporal, o que não costumo ver senão por maravilha. Ainda que muitas vezes se me representam anjos, é sem os ver...
Nesta visão quis o Senhor que o visse assim: não era grande mas pequeno, formoso em extremo, o rosto tão incendido, que parecia dos anjos mais sublimes que parecem todos se abrasam. Devem ser os que chamam Querubins, que os nomes não me dizem, mas bem vejo que no Céu há tanta diferença duns anjos a outros e destes outros a outros, que não o saberia dizer.
Via-lhe nas mãos um dardo de ouro comprido e, no fim da ponta de ferro, me parecia que tinha um pouco de fogo. Parecia-me tocar-me este dardo no coração algumas vezes e que me chegava às entranhas. Ao tirá-lo, dir-se-ia que as levava consigo, e me deixava toda abrasada em grande amor de Deus.
Era tão intensa a dor, que me fazia dar aqueles queixumes e tão excessiva a suavidade que me causava esta grandíssima dor, que não se pode desejar que se tire, nem a alma se contenta com menos de que com Deus. Não é dor corporal mas espiritual, embora o corpo não deixa de ter a sua parte, e até muita. É um requebro tão suave que têm entre si a alma e Deus, que suplico à Sua Bondade que conceda esta mesma graça a quem pensar que minto." (Santa Teresa de Jesus, Livro da Vida, cap. 29, 13).

Oremos:

Senhor, que abrasastes Santa Teresa de Jesus, nossa Mãe, com o fogo do vosso amor e a fortalecestes para os grandes empreendimentos realizados em vosso nome, concedei-nos, por sua intercessão, a graça de experimentar a força do vosso amor, que nos move a trabalhar generosamente pelo vosso reino. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amém.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

todo Dela...

O Carmelo é todo de Maria. Desde o nosso nascimento no Monte Carmelo carregamos essa inestimável graça de ser reconhecidos como a Ordem de Maria. Maria muito mais que nossa mãe e protetora é o grande modelo de vida. É a que ouve a Palavra, medita em seu coração e a põe em prática.

É preciso silenciar para ouvir a Deus, por isso o carmelita é um grande amante do silêncio. No dizer de são João da Cruz: “Uma só palavra falou o Pai, Jesus Cristo e falou no eterno silêncio e em silêncio deve ser ouvido pela alma”. A meditação consiste na sintonia com Deus. Ele é o nosso “Mestre interior”, o nosso “Livro vivo”.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Agosto Vocacional...

“A MINHA VOCAÇÃO É AMAR”
(Santa Teresinha do Menino Jesus e da Santa Face)


Mês de Agosto, convite especial para meditarmos sobre o chamado atual e permanente de Deus para nossas vidas. Ele nos quer felizes e realizados, dialoga conosco e nos garante sua presença. Como discípulos de JESUS CRISTO tivemos a graça de receber através do sacramento do BATISMO a VOCAÇÃO CRISTÃ: é o nascimento para a vida nova, como vai nos dizer o Apóstolo João: “Havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, um notável entre os judeus. À noite ele veio encontrar Jesus e lhe disse: “Rabi, sabemos que vens da parte de Deus como Mestre, pois ninguém pode fazer os sinais que fazes, se Deus não estiver com ele”. Jesus lhe respondeu: “Em verdade, em verdade, te digo: quem não nascer de novo não pode ver o Reino de Deus”. (cf. Jo 3,1-5). Através deste sacramento somos convidados a “assumir o COMPROMISSO de seguir e de conhecer JESUS CRISTO para SEMPRE”.

Recebemos de Deus a vocação à VIDA. E é nesta mesma vida que somos convidados, na perspectiva do seguimento e do discernimento a encontrar nosso lugar no serviço ao Senhor, nos realizando enquanto seres humanos e gerando ao nosso redor vida plena para nossos irmãos e irmãs. A graça santificante de Deus nunca nos falta quando de fato, nos colocamos à sua disposição com humildade e fé, que são as virtudes que criam em nós uma terra fértil em que Deus pode realizar os milagres de seu amor onipotente.