quinta-feira, 29 de maio de 2014

com Ele...

Os Carmelitas Descalços, imitando a “Cristo que se entrega à contemplação no monte”, e cuja vida estava sempre animada por um colóquio filial com o Pai, devem dar testemunho, na Igreja, de uma vida de oração contínua. Com efeito, a oração, que é “tratar intimamente com Aquele que sabemos que nos ama, e estar conversando a sós com Ele”, compromete toda a existência, manifesta-se em uma vida de fé, de esperança e de amor, que é o caminho de santidade evangélica.

Postar um comentário