quarta-feira, 29 de maio de 2013

Aquela eterna fonte...


Aquela eterna fonte está escondida,
Mas bem sei onde tem sua guarida,
Mesmo de noite.

Aquela eterna fonte está escondida
Neste Pão vivo par dar-nos vida,
Mesmo de noite.

Aquela eterna fonte que desejo,
Neste Pão de vida já a vejo,
Mesmo de noite.


João da Cruz

domingo, 26 de maio de 2013

V Meditação para o Mês de Maio

Santa Teresinha e a Virgem Maria


Estava profundamente enraizada em sua vida a devoção a Maria, por isso, a amava com grande ternura.
Diz: “... A Santíssima Virgem deu-me a perceber que foi ela realmente que sorria para mim, e quem me curara. Compreendi que velava por mim, e que eu era sua filha, e por isso já não podia dar outro nome a não ser o de Mamã, que me parecia mais afetuoso do que o de Mãe...” (Ma 158).
Todo seu amor pela Virgem se acha resumido em sua composição poética entitulada ‘Porque te amo, ó Maria’.

Quisera cantar, Maria, porque te amo.
Porque, ao teu nome, exulta meu coração
E porque, ao pensar em tua glória suprema,
Minha alma não sente temor algum...

Tu me fazes sentir que não é impossível
Os teus passos seguir, Rainha dos eleitos,
Pois o trilho do céu nos tornaste visível,
Vivendo cada dia as mais simples virtudes.

(Poesia 54,1.6)


sábado, 25 de maio de 2013

em todo o Carmelo: SALVE REGINA...



Oremus:

Ó Deus que distinguistes a Ordem do Carmelo com o título glorioso da Bem-Aventurada Virgem Maria, Mãe de vosso Filho, concedei-nos propício que hoje, na sua presença, possamos, munidos de sua ajuda, chegar ao vértice da sagrada montanha que é Jesus Cristo, Vosso Filho, Nosso Senhor, na unidade do Espírito Santo. Amém.

"O AMOR não é amado".

25 de maio
Na nossa Ordem Memória de Santa Maria Madalena de Pazzi


 Nasceu em Florença, em 1566. Entrou no Convento das Carmelitas de Santa Maria dos Anjos, onde levou vida oculta de oração e abnegação em favor da Igreja. Faleceu em 1607.

Hino das Laudes da Memória
(algumas estrofes)

Tu, que já cantas o hino
que só as Virgens entoam,
vê do céu tantas eleitas
que o Carmelo, hoje, povoam.

Simples e obediente,
teu coração ilibado
deixou no claustro e na Igreja
o seu rastro perfumado.

Glória a quem a ti, por mestra,
às almas quis apontar.
Que esse Deus Trino , prá sempre,
por ti possamos gozar.

terça-feira, 21 de maio de 2013

É lindo o CARMELO de TERESA!!!


Teresa, aquela de Jesus...


Santa Teresa é Mãe e Fundadora do Carmelo Descalço. É ela quem, como Mestra da oração, nos ensina o modo de viver o Carisma que Deus lhe deu.



"Que teu desejo seja ver Deus;
seu temor perdê-Lo;
tua dor, não possuí-Lo;
tua alegria, aquilo que pode levar a Ele;
e assim viverás em paz".
Teresa de Jesus

domingo, 19 de maio de 2013

E você???


IV Meditação para o Mês de Maria


Teresa de Jesus dos Andes e a Virgem Maria


A presença da Virgem Maria na vida de Teresa dos Andes se dá desde sua tenra idade. Maria vai lhe fazer companhia durante toda sua vida. Na primeira etapa de sua vida compreendida desde seu nascimento até a sua Primeira Comunhão em 1910 ela mesma resume sua devoção à Virgem da seguinte forma: “Desde os sete anos, mais ou menos, nasceu em minha alma uma grande devoção à minha Mãe, a Santíssima Virgem. Lucho (meu irmão) me deu esta devoção, com a qual estive e estarei, como espero, até minha morte”.(Diário 5).
Ela toma a Virgem por companhia em todos os momentos de sua vida, também durante as “noites escuras”, onde encontra sempre na mulher “mais santa” de todas, fortaleza e consolo.
Esta relação para com a Virgem está bem conforme o espírito do Carmelo Teresiano, onde Maria é tida e experienciada no decorrer da história como Mãe e Irmã, relação essa que conduz a uma maior intimidade com Deus.

“Meu espelho há de ser Maria,
sendo que sou sua filha devo assemelhar-me a ela
e assim assemelhar-me-ei a Jesus”.
(Diário 15)

Mater Admirabilis
grande devoção de Teresa dos Andes


sexta-feira, 17 de maio de 2013

DIA DA PROVÍNCIA


Dia da província

Olhai com amor, Senhor Pai Santo, à nossa família religiosa nesta região do Brasil: fazei que, em plena comunhão de corações e de intentos, saibamos realizar fecunda presença e autêntico testemunho do nosso ideal carmelitano; concedei-nos responder generosamente, sempre fiéis ao nosso carisma, às peculiares necessidades da Igreja em nosso país, inserindo-nos na sua realidade. Nós vo-lo pedimos pela proteção e intercessão de São José, a quem estamos particularmente confiados.
Amém!!!

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Dia de Oração pelas Vocações à família do Carmelo Descalço


Queridos irmãos/as, queremos cada vez mais estreitar os laços de amizade e fraternidade aqui em nosso ponto de encontro neste BLOG e no CARMELOBOOK, ou seja, nosso grupo de Vocacionados e Amigos do Carmelo Descalço. Proponho para todo dia 16 de cada mês (na Ordem memória de Nossa Senhora do Carmo) um compromisso fixo de oração pelas Vocações ao Carmelo Descalço em suas várias faces: Monjas, Frades, Seculares e Congregações afiliadas. Vamos Juntos??? Rezemos...
Nesse dia, cada um é convidado além da oração indicada, oferecer um algo mais (missa, terço, adoração, visita ao santíssimo ou o que mais mover o Amor).


Aos que desejarem copiar a oração:

Senhor Jesus, Bom Pastor, “Luz que não conhece noite”, que «ao ver as multidões andarem fatigadas e abatidas como ovelhas sem pastor», disseste: «Pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a sua messe» (Mt 9, 36-38).
Concede à tua Igreja novos trabalhadores para a messe de teu Reino: sacerdotes, religiosos e religiosas, leigos.
Em especial pedimos-Te vocações para a família do Carmelo: para a vida religiosa e sacerdotal, para a vida contemplativa, para o Carmelo laical.
Assim como Tu ao chamar os discípulos passaste a noite em oração por eles, E à escuta da vontade do Pai (cf. Lc 6, 12), que tua bondade acolha nosso pedido, despertando e enviando-nos jovens para se consagrarem a Ti conforme o carisma do Carmelo teresiano. Que sejam constantes no cultivo do diálogo de amizade com Jesus, e assim possam dedicar-se a construir teu Reino com o amor à igreja e o ardor missionário da Santa Madre Teresa, e deixem-se guiar nas noites do mundo pela doutrina de S. João da Cruz, vivendo em fé, esperança e caridade.
Que na trilha da pequena via de Santa Teresinha possam descobrir e anunciar o teu amor misericordioso de Pai, “mais terno que uma mãe”. E, no abandono de uma fé confiante, em uma busca constante da verdade, possam lançar-se confiadamente em tuas mãos, guiados e amparados pela tua presença inquietante e misteriosa, a exemplo de Edith Stein.
Senhor, que chamaste alguns pescadores, em seu trabalho nas margens do lago da Galileia e lhes disseste: «Vinde e segui-Me, e farei de vós pescadores de homens» (Mt 4, 19), chama-nos hoje “de nossas famílias, de nossas escolas, de nossos trabalhos” para seguir teus passos e construir teu Reino, alimentados pelo dom de tua Eucaristia,
Segundo teu mandato: «Ide, pois, fazer discípulos de todas as nações» (Mt 28, 19), confiando que vale a pena ser como a semente que, ao cair na terra e morrer, dá muito fruto (Jo 12, 24).
Que teu convite ajude-nos a sair de nossa própria vontade, para imergir-nos na vontade do Pai e deixarmo-nos guiar por ela. Que vivendo em fraternidade e no amor de uns para com os outros (cf. Jo 13, 35), Sigamos Cristo, tendo o olhar fixo Nele, para conhecê-Lo intimamente, a escutá-Lo na Palavra e a encontrá-Lo nos Sacramentos.
Senhor, que todos os chamados possamos compreender que fazer a vontade de Deus não aniquila nem destrói nossa pessoa, mas permite descobrir e seguir a verdade mais profunda de nós mesmos; que no viver a gratuidade e a fraternidade nas relações com os outros, experimentemos que somente abrindo-se ao amor de Pai, é que encontramos a verdadeira alegria e a plena realização das próprias aspirações.
Virgem Maria, Senhora do Carmo, mãe e irmã dos Carmelitas, Ensina-nos a responder um sim generoso, perseverante e fiel, Que brote das profundezas de um coração que acolhe e busca descobrir em tudo Fazer a vontade do Pai.
Amém.


domingo, 12 de maio de 2013

III Meditação para o Mês de Maio

Santo Padre João da Cruz e a Virgem Maria


São João da Cruz, já desde criança, recebeu na família, sobretudo por parte de sua mãe Catalina Alvarez, uma formação profundamente religiosa em torno de Maria. Era o mais comum naquele tempo, dentro da piedade cristã, a devoção à Virgem. Tudo o que viveu e praticou desde a tenra idade passa a ser para o Santo uma experiência de vida espiritual extraordinária em seu caminho. Sua devoção intensa, sincera e profunda a Maria desemboca numa vivência espiritual que, ao seu modo, o Místico Doutor transmite em seu estilo de vida.
As reflexões que faz sobre alguns temas marianos nascem de sua singular vivência espiritual, e dos conhecimentos bíblicos e teológicos acumulados em seus estudos na Universidade de Salamanca.
  
Oração da Alma enamorada

“Meus sãos os céus e minha é a terra, minhas são as gentes, os justos são meus e meus os pecadores; os anjos sãos meus e a Mãe de Deus e todas as coisas sãos minhas, e Deus mesmo é meu e para mim, porque Cristo é meu e todo para mim”. (Ditos 26)
  

Sobre a Encarnação

Então chamou-se um arcanjo
Que São Gabriel se dizia,
Enviou-o a uma donzela
Que se chamava Maria
De cujo consentimento
O mistério dependia

E ficou o Verbo Encarnado
Nas entranhas de Maria
E o que então só tinha Pai,
Já Mãe também teria,
Embora não como outra
Que de varão concebia,
Porque das entranhas dela
Sua carne recebia;
Pelo qual Filho de Deus
E do Homem se dizia.

(Romance 8)

terça-feira, 7 de maio de 2013

Ordenação Presbiteral de Frei Márcio,OCD


 No próximo sábado dia 11 de maio será Ordenado Presbítero em Carapicuíba/SP, nosso querido confrade Frei Márcio, OCD. Nesta semana rezemos de maneira especial por ele.


Segue um trecho de seu testemunho vocacional...
recolhido  por ocasião de sua Profissão Solene em agosto de 2012.

“Eu fui um jovem que não era de frequentar muitas festas, de sair muito, das “noitadas”. Eu tinha minha roda de amigos, nos encontrávamos no ambiente do nosso bairro mesmo, às vezes programávamos passeios juntos...
Na verdade, eu sempre gostei mais de estar em família. Diante dos projetos que pai e mãe incitam os filhos a traçar, quanto à vocação profissional, eu sempre tive o sonho de ser engenheiro. Então, meu pai sempre me animou para que desde cedo buscasse formação para isso. Desde os 14 anos eu comecei a frequentar cursos que pudessem me dá um direcionamento na área profissional que eu deveria assumir.  Foi num curso de metalurgia que eu comecei a solidificar, fortalecer uma identidade profissional. Prestei vestibular na FEI, em São Bernardo do Campo e passei no vestibular pra engenharia. Eu estudava e trabalhava. Venho de uma família humilde e sempre tive que lutar pelas coisas. Tive que aprender a conquistar as cosias com o suor.  Mas tive que abandonar esse meu sonho por algum tempo. Nesse período comecei a fazer meu discernimento na Igreja, e era como se Deus tivesse encaminhando as coisas, para que eu pudesse corresponder à proposta que Ele me fazia...  e eu, aos poucos com muita resistência ia prorrogando, prorrogando... porém, os fatos da vida foram me conduzindo também para isso...  Hoje estou aqui: rendido à vontade de Deus, como um Frade Carmelita Descalço, graças a Deus!”.


Frei Marcio da Virgem do Carmo, ocd

domingo, 5 de maio de 2013

II Meditação para o Mês de Maio


Santa Madre Teresa de Jesus e a Virgem Maria

A alma profundamente mariana de Teresa de Jesus se forja de forma progressiva, já desde os primeiros anos da infância, no seio familiar. Ela mesma nos diz que com a idade de seis anos sua mãe já tinha o cuidado especial de que fosse devota da Virgem. Também nos conta como desde muito menina procurava a solidão para praticar suas devoções, “que eram muitas, em especial o rosário, de quem minha mãe era muito devota, e assim nos fazia sê-lo” (V 1,6).
Quando lhe morre a mãe, Dona Beatriz de Ahumada, cai em conta do que havia perdido e acorre à Virgem da Caridade na Ermida de São Lázaro para pedir-lhe que seja ela sua Mãe. Esta estreita relação com a Virgem se manifesta durante toda sua vida espiritual. Já no Carmelo, Teresa se destacou como uma carmelita, entre muitas outras coisas espirituais, por seu amor filial à Virgem Mãe de Deus, de Cristo, da Igreja e do Carmelo.
O Marianismo de Teresa de Jesus é tradicional, familiar, novo por seu caráter pessoal, perene e sempre atual, por estar baseado nos princípios essenciais da Mariologia, como a Maternidade Divina e Virginal, a presença de Cristo e do Espírito Santo, a maternidade espiritual de todos os homens e a mediação.

“E nós nos alegramos de poder em algo servir à nossa Mãe, Senhora e Patrona... E pouco a pouco se vão fazendo coisas em honra desta gloriosa Virgem e seu Filho. Seja para sempre louvado,
amém, amém!”.
 (Fundações 29,28)