sábado, 3 de julho de 2010

Palavra do Provincial


Feliz festa de Nossa Senhora do Carmo


Caros Irmãos na Província S. José:

Paz!

O mês de julho nos presenteia com muitas festas de nossos santos e beatos de nossa Ordem. Entre todas sobressai a festa de Nossa Senhora do Carmo, nossa principal solenidade. Novamente somos convidados a aprofundar o nosso "ser no mundo sua imagem".

O Evangelho da festa nos apresenta a "hora" sublime do Exaltado que atrai a si os olhares e realiza a Redenção. Nesta "hora" concede-nos o duplo dom feito na cruz: à Mãe e ao disípulo amado. "Eis teu filho: eis tua Mãe" (Jo. 19,25-27). Como o discípulo amado, símbolo e figura de todos aqueles que aceitam o amor redentor de Jesus, nos é proposto acolher Maria-Mãe em nossa vida e dela aprender a ser discípulos: ela é modelo de seguimento incondicional a Jesus e de compaixão pelos sofredores.

Estreitamente ligado ao evangelho da festa está o das Bodas de Caná (Jo. 2,1-11). A "hora" de Jesus ainda não chegou, pois ainda não foi glorificado o Filho do Homem. É necessário crer no enviado pelo Pai. A Mulher-Maria é quem crê e leva os discípulos à fé nele. Aqui suas palavras aos servos "Fazei o que ele vos disser" (Jo. 2,5), ressoam em nossos corações. Significam que a Mulher nova cumpre em tudo a vontade do Pai e suscita nos discípulos-servos a atitude de fé no Verbo encarnado e de serviço aos demais.

Para a nossa vida orante, vejo como significativo o que o santo padre João da Cruz nos apresenta da Virgem nas Bodas de Caná; ela é modelo de amor confiante:

"Quem ama discretamente, não cuida de pedir o que deseja ou lhe falta: basta-lhe mostrar sua necessidade para que o Amado faça o que for servido. Assim procedeu a bendita Virgem com o amado Filho nas bodas de Caná; não lhe pediu diretamente o vinho, mas disse apenas: 'Não têm vinho' (Jo. 2,3)... Isto se deve fazer por três razões. Primeira: melhor sabe o Senhor o que nos convém, do que nós mesmos. Segunda: mais se compadece o amado, vendo a necessidade do amante e sua resignação. Terceira: mais segura vai a alma quanto ao amor de si mesma e ao juízo próprio, manifestando sua indigência, do que pedindo o que lhe falta" (Cântico espiritual, 2,8).

Assim, caríssimos Irmãos, celebrar a festa do Carmo é olhar para Maria que nos ensina a "contemplar a Palavra" que nos leva ao "serviço generoso aos irmãos", servindo à Igreja a quem ela "acompanha com amor de Mãe". Maria, como "Estrela do mar" e "sinal de firme esperança", nos guia ao "vértice da montanha que é Cristo".

Qua a Virgem Santa abençoe a cada um de vocês e nos conceda a todos a graça de aprofundar o seguimento confiante, fiel e perseverante a Jesus e à sua Mãe, de quem aprendemos "de sua mente a amar a Deus sobre todas as coisas, de seu espírito a contemplar sempre o Verbo e de seu coração a servir aos irmãos".

A cada um de vocês, comunidades, amigos e benfeitores, uma

FELIZ FESTA DE NOSSA SENHORA DO CARMO!

Fr. Alzinir Debastiani, ocd

Postar um comentário