segunda-feira, 21 de setembro de 2009

2º Dia - Novena de Santa Teresinha do Menino Jesus


Passa a ser grande em tamanho e, sobretudo, em graça (47 v)

Para cada pessoa há um momento para a autêntica conversão.
Os grandes baluartes da Igreja passaram por isso. É só lembrar-se de São Vicente de Paulo, de São Francisco de Assis, de Santo Agostinho e, até mesmo, Nossa Santa Madre Teresa de Jesus (Teresa de Ávila) que decidiu se converter e é tida como referência na Igreja.
O mesmo aconteceu com Santa Teresinha:
“Em 25 de dezembro de 1886, a graça de minha conversão completa. Voltávamos da missa da meia – noite, na qual tive a ventura de receber o Deus forte e poderoso...
Jesus, porém, querendo mostrar-me que devia livrar-me dos defeitos da infância, subtraiu-me também inócuas alegrias dessa idade.
(...) Felizmente, era uma doce realidade. Teresinha tinha reavido a força e ânimo que perdera aos 4 anos e meio, e conservá-la-ia para sempre!...
(...) A tarefa que em dez anos não me foi possível desempenhar, Jesus a executou num ápice, contentando-se com minha boa vontade, quer nunca me faltou. Como seus Apóstolos, poderia dizer-lhe: ‘Senhor, pesquei toda a noite, e nada apanhei’. Para comigo, mais misericordioso ainda do que para com seus discípulos, o próprio Jesus tomou a rede, lançou-a e recolheu-a cheia de peixes... Fez-me pescadora de almas. Senti, numa palavra, a caridade penetrar-me no coração, a necessidade de esquecer-me a mim mesma, para ser obsequiosa, e desde então fui feliz!”(MA 133-134)

Ela já não foi mais a mesma de antes, pois a partir daí deseja agradar a Deus; quer também dedicar-se com toda força, radicalidade, empenho e perseverança ao serviço do Senhor. Deus permitiu que isso acontecesse com Santa Teresinha para que ela se tornasse uma pessoa com boas intenções.
Todos nós somos chamados a dar testemunhos de amor. O amor é um sinal ou coisa que perpassa a nossa vontade. Tudo isso é fato e vem a servir de exemplo para cada um de nós, ajudando-nos nesse processo de conversão. Deus permite que sejamos provados para ver até aonde vai a nossa fé Nele. O livro de Jó é bastante rico quando se fala em provação, pois, mesmo em meio a tribulações, perdendo tudo, menos a vida, ele, Jó, permaneceu fiel e ganhou tudo em dobro.
“Viver é saber que tudo nesse mundo só tem valor quando conquistado entre dores e sofrimentos, quando a vitória é consequência da luta, da garra, quando o sabor da conquista teve minha participação plena e direta. Aí, sim, vale a pena viver”, dizia André Marmilicz.

Rezemos e supliquemos:
Por todos aqueles que não creem;
Por todos aqueles que não adoram;
Por todos aqueles que não esperam;
Por todos aqueles que não amam;
Por cada pessoa humana, para que tenha sua experiência autêntica com Deus;
Por todas as que trazemos no nosso coração, rezemos e supliquemos.

Escutai, Senhor, nosso clamor, pela intercessão de Santa Teresinha do Menino Jesus.

Oremos

Oh! Teresinha do Menino Jesus, que no curto espaço de vossa existência fostes um espelho de angelical pureza, de amor forte e do mais generoso abandono na Divina Providência, agora que estais gozando o prêmio de vossas virtudes, volvei um olhar de compaixão sobre nós que confiamos plenamente em vós. Fazei vossas nossas aflições; dizei por nós uma palavra a esta Virgem Imaculada de quem fostes à flor privilegiada a Rainha do Céu que vos sorriu na manhã da vida. Suplicai a ela, tão poderosa sobre o coração de Jesus, nos obter a graça que tanto desejamos neste momento, de acompanhá-la com uma bênção que nos alente durante a vida, nos fortifique na hora da morte, e nos conduza à bem aventurada eternidade.
Assim seja.

Rogai por nós, Santa Teresinha.
Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.
Postar um comentário