segunda-feira, 27 de abril de 2009

Os carmelitas seculares Elizabeth Korves e Mathew Liow no Capítulo Geral
















“Ser membro do Carmelo Secular no é somente receber bens da Ordem, mais que pertencer a Ordem é também dar-se”

Fátima, 27-04-2009

O frei Josep Castellá, sócio da província da Catalunha, moderou a seção de hoje, 27 de abril, a qual se apresentaram diversas informações relativas ao Carmelo Secular (OCDS).

Trouxe a apresentação por parte do Delegado Geral para a OCDS, P. Aloysius Deeney, Elizabeth Korves, membro do Carmelo Secular de Oklahoma, apresentou aos capitulares o tema “As Constituições na vida da Ordem Secular e as relações entre os frades e os seculares”.

Os Carmelitas seculares estão “necessitados de um amplio conhecimento da formação no espírito do Carmelo e com uma boa formação para viver melhor o chamado a santidade e o apostolado da Ordem do Carmelo”, assinalou Korves durante sua intervenção.

Uma mesma chamada a Santidade compartilhada com toda a Ordem e expressada “na vivência de nossas obrigações: Oração mental, oração litúrgica, Missa diária, devoção a Maria, encontros com a comunidade e a missão da Ordem.”, afirmou.















Assim Elisabeth mostrou que ser membro do Carmelo Secular não “é solo de receber bens d Ordem, mais que pertencer a Ordem é também dar-se. Não basta ter devoção a Virgem, mais que o que distingue a vocação a Ordem é nosso compromisso com a mesma Ordem, e não devemos diminuir estes compromissos”.















Sobre apostolado, os seculares, afirmou, “compartilhamos a mesma missão apostólica e as constituições vêm os seculares uns colaboradores no ministério da espiritualidade da Ordem”. Alguns destes seculares organizam dias de retiro, outros administram centros de retiros, preparam livros e folhetos de nossos santos, etc.

Programa de formação OCDS

Mathew Liow, também membro do Carmelo Secular, nesta ocasião vinda da Malásia, apresentou o “Programa de Formação”. “Como estruturar e animar a formação? Como se Formam os OCDS para atrair mais para Jesus a nossas famílias e a nos mesmos?” assinalou Liow com questionamentos importantes a ter em consideração ao projeto formativo. Os programas de formação devem ser “capazes de adaptar-se, digerir e assimilar”.













O frei Aloysius apresentou também o programa de formação do Carmelo Secular filipino. Um programa estruturado em seis anos, acompanhando cada um destes anos um manual de ajuda, leituras e temas que foram programados. “Cada ano tem um manual de ajuda com conteúdo próprio. No final do período de formação tem estes livros em suas bibliotecas.”, referiu frei Aloysius.
Postar um comentário