sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

A mística deve ser a nossa identidade - por Frei Rafael

Nos dias 15 e 16 de Janeiro estivemos reunidos com o Padre Leomar (sobrenome) que é da diocese de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul e atualmente professor da PUC-RS. Conversou conosco sobre a atualidade da pastoral urbana em seu atual contexto e alguns desafios. Disse que estamos em uma sociedade móvel, em tempo de mudança e descartabilidade, pluralismo, utilitarismo, imediatismo, emotividade e esteticismo. Numa sociedade onde cresce o espaço virtual e reina a primazia da economia.
Dentro dessa realidade nos situamos e somos desafiados a evangelizar. Entendemos que o Carmelo tem uma proposta atraente e ao mesmo tempo encantadora para nosso tempo. Algo que pode ser oferecido através das pessoas que vivem a profundidade do Mistério e ao mesmo tempo são capazes de conduzir os outros a fazerem a mesma experiência. Pessoas que são capazes de fazer da liturgia uma constante oração e ensinar o povo a rezar. Pessoas que tem a capacidade de sair de si mesmas para acolher o outro, seja este o excluído, o pobre ou qualquer outro. Nós do Carmelo teremos o desafio de sermos o que já dizia Karl Hanner “ou seremos místicos ou não seremos cristãos”. Para nós isso já não é uma novidade e sim a nossa identidade, por isso a grandeza de nossa compromisso com as pessoas humanas.
Temos tudo para nos adaptarmos a esta nova e mutante realidade. Nossa família tem uma riqueza única e inconfundível. Parece que é a hora de distribuirmos o que temos de melhor aos outros, ou seja, ajudar as pessoas a perceber que mesmo com tanta perturbação, Deus mora em cada pessoa humana e dentro do coração nos convida a sermos seus fortes Amigos.

Frei Rafael, OCD
4° ano de Teologia - Passo Fundo
Província Nossa Senhora do Carmo
Postar um comentário