quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Festa no Carmelo Descalço - Santo Alberto de Jerusalém, Legislador da nossa Ordem - 17 de setembro


Exortações sobre a vida espiritual da Regra de Santo Alberto de Jerusalém, legislador da Regra para os Carmelitas Descalços.

Porque a vida do homem sobre a terra é uma contínua tentação e os que piamente querem viver em Cristo padecem perseguições e também porque o demônio, vosso adversário, como um leão rugindo, anda cm continuado giro, buscando a quem devorar, procurai com o maior cuidado vestir-vos das armas de Deus para poderdes resistir a seus assaltos.

Cingi, pois, vossos corpos com o cinto da castidade e fortalecei vosso peito com pensamentos santos, pois está escrito: "A consideração santa te guardará". Deveis vestir a couraça da justiça para que, com todo o vosso coração, com toda a vossa alma e com toda a vossa fortaleza, ameis ao Senhor vosso Deus e ao próximo como a vós mesmos.

Em todas as ocasiões haveis de armar-vos com o escudo da fé, no qual possais rebater e extinguir os incêndios golpes do inimigo, pois, sem fé é impossível agradar a Deus. Ponde sobre vossas cabeças o capacete da salvação para que só do Salvador, que salva o seu povo de todos os pecados, espereis salvação. A espada, porém, do espírito, que é a Palavra de Deus, esteja sempre abundantemente em vossa boca e em vossos corações, e tudo quanto fizerdes, fazei-o em nome do Senhor.

Recomenda o Apóstolo o silêncio quando nele mesmo manda trabalhar, assim como o Profeta testifica que o culto da justiça é o silêncio, e noutro lugar, "no silêncio e na esperança estará a vossa fortaleza", pois está escrito e ensina a
experiência: "no muito falar não faltará pecado". E "quem é inconsiderado em suas palavras experimentará danos". E também: "Aquele que fala muito ofende a sua alma". E o Senhor diz no Evangelho; "De toda palavra ociosa que os homensdisserem darão conta no dia do juízo". Faça, pois, cada um de vós uma balança para as suas palavras, e freios retos para a sua boca, a fim de não pecar e cair pela sua língua, de sorte que seja incurável e mortal a sua queda; guarde com o Profeta os seus caminhos para que não peque com a sua língua, e procure com diligência e cautela guardar o silêncio no qual está todo o culto da justiça.
Postar um comentário