quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Vocação como Construção

Frei Francinaldo da Trindade é Carmelita Descalço. Nascido em Esperantina, Piauí, hoje é conventual em Belo Horizonte, no Convento Santa Teresa de Jesus.


A partir da proposta da Igreja no Brasil de trabalhar o mês de agosto como mês vocacional, quero, aqui, partilhar um pouco desse tema singular a cada pessoal pela experiência própria, mas universal quanto à reflexão.
Refletir sobre a vocação é ter claro que esta se trata de uma construção, em que aos poucos vamos dando passos, seguindo a dinâmica da vida que se nos apresenta. É uma caminhada que vai se formando. O caminho nos é dado; e nós damos os passos. Que caminho? Ora, a própria vida, que nos é dada por Deus. Para onde leva esse caminho? Para o rumo que a própria vida, em sua dinâmica, toma. Somos, porém, convidados a ler os “sinais dos tempos” para entrarmos nesta dinamicidade conscientes, sabendo para onde estamos indo.
Os passos, nós os damos. Aqui também, exige consciência e discernimento. Nenhum passo deve ser dado precipitadamente. Caso contrário, a caminhada pode se apresentar um tanto enfadonha.
A vida vai nos conduzindo! O participar da Igreja só pode levar a uma participação cada vez mais plena. O amor tende a crescer até alcançar sua plenitude. O serviço ao próximo conduz à doação total. Esta é a dinâmica referida acima.
Um jovem enamorado alimenta seus sentimentos a cada momento em vista da amada. Um orante busca estar a cada instante na presença de Deus a fim de alcançar Sua Graça. Um cristão procura seguir os ensinamentos de Jesus em vista de sua salvação. Ora, o caminho é dado. Os passos, nós os damos.
Fazer uma opção vocacional exige tempo; toda a vida deve ser levada em conta, mesmo aqueles passos tortos, consertados mais à frente, ou ainda por consertar. Um pai ou mãe de família, um religioso ou religiosa, um padre, um leigo ou leiga comprometido com a comunidade não “se faz de um dia para outro”. Literalmente não se faz. É uma caminhada, uma construção. Muito nos é dado; resta-nos acolher e construir.
Que nossa opção vocacional seja conseqüência de tudo que vivemos no nosso dia a dia. Que Deus, autor da vida, nos abençoe.

Frei Francinaldo da Trindade ocd
Postar um comentário