domingo, 20 de julho de 2008

Começam conversões da JMJ

SYDNEY, segunda-feira, 14 de julho de 2008 (ZENIT.org).-
A JMJ já está trazendo conversões para a Igreja Católica, e ainda nem começou.
A coordenadora da comunidade católica polonesa da JMJ em Sydney, de 24 anos, explicou à Zenit que seu namorado não-católico está participando do Rito de Iniciação Cristã para Adultos. Sua conversão surgiu da experiência de rezar com ela pelos frutos da JMJ.
«Ele está participando da JMJ comigo e espero que a semana de eventos e a solidariedade com muitos católicos de todo o mundo o façam se sentir orgulhoso de fazer parte da família católica», disse Basia.
Ela estava com um grupo de jovens poloneses-australianos vestidos de uniformes tradicionais de dança polonesa na veneração da cruz da JMJ e do ícone no Belmore Park.
Com peregrinos internacionais já trazendo movimento à vida de Sydney, Basia crê que o evento trará nova vida à Igreja na Austrália e uma nova energia.
«Temos igrejas pequenas e vibrantes na Austrália, mas precisamos que estejam vivas para as futuras gerações», disse.
Basia afirmou que os jovens buscam Bento XVI assim como buscavam o Papa João Paulo II, que começou a JMJ.
Ela disse que o interesse do último pontífice pela vida da juventude continua guiando a fé dos jovens, especialmente na Polônia.
«[Karol Wojtyla] estava na verdade triste quando lhe foi pedido que se tornasse o próximo arcebispo de Cracóvia, porque isso significaria deixar seu trabalho diário com a juventude em sua paróquia, disse. Mas quando ele se tornou Papa, manteve seu amor à juventude, mesmo durante sua doença. Havia algo em seus olhos e em sua voz que atraía os jovens a ele.»
Basia lidera um forte grupo de 200 jovens registrados para a JMJ em Sydney, e disse que os peregrinos da Irlanda, Canadá, Polônia e mesmo do Oeste da Austrália se uniram a eles.
«Somos grandes admiradores de João Paulo II e compreendemos o grande impacto que ele representou para cada um de nós e para o mundo», disse Agnieszka (Agnes) Jaszczyszyn, 34 anos, a outra líder de peregrinação do grupo.
Mas o Papa atual não está jamais longe de seus pensamentos, e continuam orando pelo sucesso de sua missão na Austrália. «É por causa do Papa Bento XVI que temos a JMJ 2008 em Sydney – ele manteve a tradição», disse ela. «Os jovens do mundo estão aqui por causa dele.»
Chegada
As ruas de Sydney ficaram lotadas com os peregrinos, esperando para testemunhar a Cruz da JMJ e o ícone.
A cruz da JMJ foi dada aos jovens do mundo por João Paulo II, em 1984, para ser carregada como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade; o ícone de Nossa Senhora foi seu segundo presente para os jovens, em 2003, para acompanhar a cruz.
A última passagem dos símbolos pelas ruas de Sydney foi o cume da viagem global. Depois de atravessar os continentes, os símbolos foram entregues aos australianos no Palm Sunday 2006, em Roma.
Centenas de peregrinos seguiram a cruz e o ícone do Manly ao Circular Quay, depois seguiram ao centro comercial de Sydney pela Pitt Street, passaram pela Sydney Tower, até chegar ao Belmore Parl. Lá, todo peregrino teve a chance de venerar a cruz e o ícone.
Foi a última passagem da cruz e do ícone antes das imagens fazerem parte do cenário na Missa de abertura na Quinta-Feira, às 16h (horário local). A Missa será presidida pelo cardeal George Pell, de Sydney, no Barangaroo, um porto no East Darling Harbor. Fonte: www.zenit.org
Postar um comentário