terça-feira, 29 de julho de 2008

Memória do Beato João Soreth - 28 de julho



PRESBÍTERO
Nasceu em 1394, perto de Caen, Normandia. Entrou para o Carmelo muito jovem. Laureou-se em Teologia, em Paris. Foi Mestre de estudos e Provincial. Desde o ano de 145l até sua morte, ocorrida em Antuérpia, no ano de 1471, foi Prior Geraldo Ordem. Restaurou e propagou a observância regular; comentou com maestria a Regra; reviu e publicou as Constituições, em 1462; promoveu a instituição das Monjas Carmelitas e a Ordem Terceira de sua religião.

Memória do Beato Tito Brandsma - 27 de Julho

Presbítero e mártir
Nasceu na cidade Frísia de Bolsward (Holanda), no ano de 1881. O beato Tito, ainda muito jovem, entrou para a Ordem do Carmo. Foi ordenado sacerdote, em 1905. Estudou em Roma onde conseguiu o grau de Doutor em Filosofia na Universidade Gregoriana. Depois disto, ensinou em diversas escolas na Holanda: foi nomeado professor de Filosofia e de Teologia Mística na Universidade Católica de Nijmegen,sendo, na mesma Universidade, nomeado "Reitor Magnífico”.
Ficou conhecido por sua afabilidade para com todos. Foi jornalista profissional e, em Ï935, foi designado assistente eclesiástico dos Jornalistas católicos. Opôs-se a ocupação Nazista na Holanda e, baseando-se no Evangelho, combateu fortemente a ideologia do Nacional Socialismo. Defendeu a liberdade da Educação e da Imprensa católica. Por estas razões,foi preso. Começava, desta forma, o seu calvário: de campo em campo, de prisão em prisão, e depois de tantos sofrimentos e humilhações, foi assassinado, em Dachau, no de 1942. Até seu último respiro, não se cansou de levar
e conforto espiritual a todos os seus colegas de prisão. Entre tantos tormentos atrozes, soube comunicar o bem, o amor e a paz. Foi proclamado beato da Igreja de Cristo pelo Papa João Paulo II, no dia 3 de novembro de 1985.

Ordenação presbiteral





Frei Fabiano será ordenado presbitero da Igreja no dia 16 de agosto de 2008, na matriz de Nossa Senhora Auxiliadora pelas mãos do senhor bispo Dom Joaquim Mol.

quinta-feira, 24 de julho de 2008

2ª Assembléia da Juventude - Paróquia Jesus Ressuscitado - 26 de julho - sábado

A Pastoral da Juventude, o Movimento Encontro de Jovens com Cristo e paróquia Jesus Ressuscitado, que tem como pároco o padre Carlos Roberto Soares Costa, se mobilizam para a 2ª Assembléia da Juventude que será realizada no próximo sábado, 26 de julho, às 16 horas, no salão paroquial.
A programação da 2ª Assembléia da Juventude está dentro do projeto: “Vivendo a Comunhão, promovendo a juventude e a Justiça Social”. No encontro, serão utilizados os subsídios da Terceira Assembléia do Povo de Deus, com o objetivo de integrar os jovens na caminhada da paróquia e envolver a todos para a evangelização e III APD.
A 2ª Assembléia da Juventude será encerrada com uma Celebração Eucarística seguida de barraquinhas com comidas típicas. Todos os jovens estão convidados!
Local: Av. Flor de Seda, 1200 – bairro Lindéia.
Outras informações através do telefone: (31) 3385-2209.

Próxima Beatificação

Eis um bom exemplo para os casais que que buscar servir a Deus de maneira consciente em sua vocação matrimônial. Os pais de Santa Teresinha são um modelo de santidade vivida no casamento e na família.

O Papa Bento XVI aprovou quinta-feira o decreto de reconhecimento de um milagre atribuído à intercessão de Louis e Zélie Martin, pais de Santa Teresinha de Lisieux. Com esta aprovação se abre o caminho à beatificação do casal.
O milagre aprovado é a cura de uma criança de Monza (cidade italiana próxima de Milão), de nome Pietro Schiliro. Ele tinha uma má formação nos pulmões que tornava impossível sua sobrevivência.
Um carmelita italiano, o Pe. Antonio Sangalli, sugeriu aos pais do pequeno que fizessem uma novena aos pais de Santa Teresinha, pois já tinham perdido 4 filhos de curta idade, para receber a força que lhes permitisse suportar este sofrimento.
A mãe do pequeno Pietro declarou que fez essa novena (e uma segunda) para pedir a cura de seu filho. O menino, atualmente restabelecido, peregrinou a Lisieux com seus pais em agradecimento a Louis e Zélie Martin.
A aprovação do milagre coincide quase exatamente com a celebração, nos dias 12 e 13 de julho, em Alençon e Lisieux, do 150º aniversário de casamento de Louis e Zélie. Está prevista a participação do cardeal José Saraiva Martins, prefeito da Sagrada Congregação para as Causas dos Santos, nos atos programados.
Em Alençon, lugar no qual os esposos Martin contraíram matrimônio em 12 de julho de 1858, no mesmo dia do centenário está prevista uma jornada festiva, que concluirá com uma vigília de oração.

No dia seguinte, 13 de julho, o cardeal Saraiva Martins presidirá em Lisieux uma Jornada das Famílias, na esplanada da Basílica, na qual, entre outros atos, está a bênção de uma estátua de Santa Teresinha realizada pela princesa Diana da França.
Segundo um comunicado divulgado por Dom Pierre Pican, bispo de Nayeux e Lisieux, Dom Jean-Claude Panadero, bispo de Séez, e Dom Bernard Lagoutte, reitor da Basílica de Santa Teresinha, o cardeal Saraiva Martins anunciará nessa ocasião o lugar e o dia da cerimônia de beatificação do casal Martin.

video

A Celina Borges musicou um dos poemas de Santa Madre Teresa. Ficou muito bom!

Confira!

Site dos frades formandos da Cicla Sul http://www.revistaciclanorte.org/

Homilia final de Bento XVI na JMJ 2008 - 20/07/2008

Santa Missa na XXIII Jornada Mundial da Juventude no Hipódromo de RandwickHomilia do Santo PadreQueridos amigos,«Ides receber uma força, a do Espírito Santo, que descerá sobre vós» (Act 1, 8). Vimos hoje cumprida esta promessa. No dia de Pentecostes, como ouvimos na primeira leitura, o Senhor ressuscitado, sentado à direita do Pai, enviou o Espírito sobre os discípulos reunidos no Cenáculo. Com a força deste Espírito, Pedro e os Apóstolos foram pregar o Evangelho até aos confins da terra. Em cada idade e nas mais diversas línguas, a Igreja continua a proclamar pelo mundo inteiro as maravilhas de Deus, convidando todas as nações e povos a abraçar a fé, a esperança e a nova vida em Cristo.(…) Rezo para que esta grande assembleia, que congrega jovens «de todas as nações que há debaixo do céu» (Act 2, 5), se torne um novo Cenáculo. Que o fogo do amor de Deus desça sobre os vossos corações e os encha, a fim de vos unir cada vez mais ao Senhor e à sua Igreja e enviar-vos, como nova geração de apóstolos, para levar o mundo a Cristo.(…) De facto, em cada Missa o Espírito Santo, invocado na oração solene da Igreja, desce novamente não só para transformar os nossos dons do pão e do vinho no Corpo e no Sangue do Senhor, mas também para transformar as nossas vidas fazendo de nós, com a sua força, «um só corpo e um só espírito em Cristo».Mas, o que é este «poder» do Espírito Santo? É o poder da vida de Deus. É o poder do mesmo Espírito que pairou sobre as águas na alvorada da criação e que, na plenitude dos tempos, levantou Jesus da morte. É o poder que nos conduz, a nós e ao nosso mundo, para a vinda do Reino de Deus. No Evangelho de hoje, Jesus anuncia que começou uma nova era, na qual o Espírito Santo será derramado sobre a humanidade inteira (cf. Lc 4, 21). Ele próprio, concebido por obra do Espírito Santo e nascido da Virgem Maria, veio habitar entre nós para nos trazer este Espírito. Como fonte da nossa vida nova em Cristo, o Espírito Santo é também, de modo profundamente verdadeiro, a alma da Igreja, o amor que nos une ao Senhor e entre nós e a luz que abre os nossos olhos para verem as maravilhas da graça de Deus ao nosso redor.Aqui na Austrália, nesta grande «Terra Austral do Espírito Santo», tivemos todos uma inesquecível experiência da presença e da força do Espírito na beleza da natureza. (…) Também aqui, nesta grande assembleia de jovens cristãos vindos de todo o mundo, tivemos uma experiência concreta da presença e da força do Espírito na vida da Igreja. Vimos a Igreja na profunda verdade do seu ser: Corpo de Cristo, comunidade viva de amor, que engloba pessoas de toda a raça, nação e língua, de todos os tempos e lugares, na unidade que brota da nossa fé no Senhor ressuscitado.A força do Espírito não cessa jamais de encher de vida a Igreja. (…)No entanto esta força, a graça do Espírito, não é algo que possamos merecer ou conquistar; podemos apenas recebê-la como puro dom. O amor de Deus pode propagar a sua força, somente quando lhe permitimos que nos mude a partir de dentro. Temos de O deixar penetrar na crosta dura da nossa indiferença, do nosso cansaço espiritual, do nosso cego conformismo com o espírito deste nosso tempo. Só então nos será possível consentir-Lhe que acenda a nossa imaginação e plasme os nossos desejos mais profundos. Eis o motivo por que é tão importante a oração: a oração diária, a oração privada no recolhimento dos nossos corações e diante do Santíssimo Sacramento e a oração litúrgica no coração da Igreja. A oração é pura receptividade à graça de Deus, amor em acto, comunhão com o Espírito que habita em nós e nos conduz através de Jesus, na Igreja, ao nosso Pai celeste. Na força do seu Espírito, Jesus está sempre presente nos nossos corações, esperando serenamente que nos acomodemos em silêncio junto d’Ele para ouvir a sua voz, permanecer no seu amor e receber a «força que vem do Alto», uma força que nos habilita a ser sal e luz para o nosso mundo.(…) Amados jovens, permiti que vos ponha agora uma questão. E vós o que é que deixareis à próxima geração? Estais a construir as vossas vidas sobre alicerces firmes, estais a construir algo que há-de durar? Estais a viver a vossa existência de modo a dar espaço ao Espírito no meio dum mundo que quer esquecer Deus ou mesmo rejeitá-Lo em nome de uma falsa noção de liberdade? Como estais a usar os dons que vos foram dados, a «força» que o Espírito Santo está pronto, mesmo agora, a derramar sobre vós? Que herança deixareis aos jovens que virão? Qual será a diferença impressa por vós?A força do Espírito Santo não se limita a iluminar-nos e a consolar-nos; orienta-nos também para o futuro, para a vinda do Reino de Deus. Que magnífica visão duma humanidade redimida e renovada entrevemos na nova era prometida pelo Evangelho de hoje! (…) A efusão do Espírito de Cristo sobre a humanidade é um penhor de esperança e de libertação contra tudo aquilo que nos depaupera. Tal efusão dá nova vista ao cego, manda livres os oprimidos, e cria unidade na e com a diversidade (cf. Lc 4, 18-19; Is 61, 1-2). Esta força pode criar um mundo novo, pode «renovar a face da terra» (cf. Sal 104, 30).Uma nova geração de cristãos, revigorada pelo Espírito e inspirando-se a uma rica visão de fé, é chamada a contribuir para a edificação dum mundo onde a vida seja acolhida, respeitada e cuidada amorosamente, e não rejeitada nem temida como uma ameaça e, consequentemente, destruída. Uma nova era em que o amor não seja ambicioso nem egoísta, mas puro, fiel e sinceramente livre, aberto aos outros, respeitador da sua dignidade, um amor que promova o bem de todos e irradie alegria e beleza. Uma nova era na qual a esperança nos liberte da superficialidade, apatia e egoísmo que mortificam as nossas almas e envenenam as relações humanas. Prezados jovens amigos, o Senhor está a pedir-vos que sejais profetas desta nova era, mensageiros do seu amor, capazes de atrair as pessoas para o Pai e construir um futuro de esperança para toda a humanidade.O mundo tem necessidade desta renovação. Em muitas das nossas sociedades, ao lado da prosperidade material vai crescendo o deserto espiritual: um vazio interior, um medo indefinível, uma oculta sensação de desespero. Quantos dos nossos contemporâneos escavaram para si mesmos cisternas rotas e vazias (cf. Jer 2, 13) à procura desesperada de sentido, daquele sentido último que só o amor pode dar!? Este é o dom grande e libertador que o Evangelho traz consigo: revela a nossa dignidade de mulheres e homens criados à imagem e semelhança de Deus; revela a sublime vocação da humanidade, que é a de encontrar a própria plenitude no amor; desvenda a verdade sobre o homem, a verdade sobre a vida.Também a Igreja tem necessidade desta renovação. Precisa da vossa fé, do vosso idealismo e da vossa generosidade, para poder ser sempre jovem no Espírito (cf. Lumen gentium, 4). (…) A Igreja tem uma especial necessidade do dom dos jovens, de todos os jovens. Ela precisa de crescer na força do Espírito, que agora mesmo vos enche de alegria a vós, jovens, e vos inspira a servir o Senhor com entusiasmo. Abri o vosso coração a esta força. Dirijo este apelo de forma especial àqueles que o Senhor chama à vida sacerdotal e consagrada. Não tenhais medo de dizer o vosso «sim» a Jesus. (…)Que significa receber o «selo» do Espírito Santo? Significa ficar indelevelmente marcados, inalteravelmente mudados, significa ser novas criaturas. Para aqueles que receberam este dom, nada mais pode ser como antes. Ser «baptizados» no Espírito significa ser incendiados pelo amor de Deus. «Beber» do Espírito (cf. 1 Cor 12, 13) significa ser refrescado pela beleza do plano de Deus sobre nós e o mundo, e tornar-se por sua vez uma fonte de refrigério para os outros. Ser «selados com o Espírito» significa além disso não ter medo de defender Cristo, deixando que a verdade do Evangelho permeie a nossa maneira de ver, pensar e agir, enquanto trabalhamos para o triunfo da civilização do amor. (…)Amados jovens de língua portuguesa, queridos amigos em Cristo! Sabeis que Jesus não vos quer sozinhos; disse Ele: «Eu rogarei ao Pai e Ele vos dará outro Consolador para estar convosco para sempre, o Espírito da verdade (…) que vós conheceis, porque habita convosco e está em vós» (Jo 14, 16-17). É verdade! Sobre vós desceu uma língua de fogo do Pentecostes: é a vossa marca de cristãos. Mas não foi para a guardardes só para vós, porque «a manifestação do Espírito é dada a cada um para proveito comum» (1 Cor 12, 7). Levai este Fogo santo a todos os cantos da terra. Nada e ninguém O poderá apagar, porque desceu do céu. Tal é a vossa força, caros jovens amigos! Por isso, vivei do Espírito e para o Espírito!A versão integral dos discursos pronunciados pelo Santo Padre está disponível no site da Santa Sé www.vatican.va e nas várias edições do jornal L’Osservatore Romano.
Fonte: www.radiovaticana.org

Beatas Maria Pilar, Teresa e Maria Ângeles



Hoje o Carmelo Descalço celebra a memória das mártires de Guadalajara.

Maria Pilar, Teresa e Maria Ângeles, carmelitas descalças do Mosteiro de Guadalajara, foram martirizadas no dia 24 de julho de 1936, depois de terem confessado sua fé em Cristo Rei e oferecido suas vidas pela Igreja. São as primícias dos inumeráveis mártires da guerra civil espanhola de 1936/1939. Foram beatificadas por João Paulo I, no dia 29 de março de 1987.

Que elas possam interceder por nós junto de Deus!

quarta-feira, 23 de julho de 2008

Profissão Solene e Ordenação Diaconal do Frei Cleber




Iniciamos hoje o tríduo em preparação para profissão solene e a ordenação diaconal do Frei Cleber, às 18 h, na Matriz de Nossa Senhora Auxiliadora. Venha agradecer a Deus por esta alegria!

domingo, 20 de julho de 2008







Frei Aurílio, Frei Allyson e Frei Francinaldo no Carmelo de Patos de Minas na Festa de Nossa Senhora do Carmo.

Festa de Elias Profeta - 20 de Julho







O profeta Elias aparece na Sagrada Escritura como o homem que caminha sempre na presença de Deus e combate, inflamado de zelo, pelo culto do único e verdadeiro Deus.
Reivindica os direitos divinos no desafio feito aos profetas do Monte Carmelo, goza no Horeb da íntima experiência de Deus vivo.

Segundo a tradição, os primeiros eremitas, que no século XIII iniciaram a vida monástica no Monte Carmelo em honra da Virgem Maria, voltaram-se para Elias, tomando-o como exemplo da própria vida, juntamente com a Mãe de Deus.


"Que fazes aqui, Elias? Ele respondeu: Eu me consumo de ardente zelo pelo Senhor Deus dos Exércitos." 1 Rs 19,14a


Em perigo manuscritos de Edith Stein

Colônia, 25 jan (RV) - As 25.000 páginas manuscritas do arquivo de Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein) estão em perigo de perder-se se não for feita logo sua restauração, adverte a Ordem Carmelita.
O arquivo “Edith Stein”, das Carmelitas de Colônia, Alemanha, possui a herança literária e grande parte dos manuscritos da santa carmelita alemã. “Felizmente, conservam-se os autógrafos de muitos de seus escritos” graças a uma carmelita, a irmã Pia, do Carmelo de Echt, na Holanda, que com grande valor conseguiu salvá-los durante a perseguição nazista dos judeus na Europa, informa o site dos carmelitas descalços.
Durante a evacuação do mosteiro, na II Guerra Mundial, a irmã Pia carregou em dois sacos de batatas todos os manuscritos que a irmã Teresa Benedita da Cruz havia levado desde Colônia ao mosteiro holandês. Pelos percalços da guerra, os valiosos documentos tiveram de permanecer escondidos em um galinheiro. Hoje, os manuscritos, informam os carmelitas, mostram as marcas dessa viagem aventureira.
São no total quase 25.000 páginas, que “manifestadamente se encontram deterioradas – indicam. O papel está descolorado. Em muitos lugares, a tinta perde clareza”. Por isso, é preciso um minucioso trabalho de restauração, página por página, para restabelecer a cor da tinta.
Os carmelitas advertem de que “se não se começa logo uma rápida restauração técnica, corre-se o risco de perder para sempre a melhor fonte de pesquisa” sobre Edith Stein. O diretor da biblioteca diocesana de Colônia estimou o custo de restauração aos autógrafos em meio milhão de euros.
Por isso se lançou um chamado às pessoas que queiram cobrar estes gastos.Edith Stein nasceu em 1891 em Breslavia, Alemanha. Seus pais eram judeus. Em 1913, ingressou na universidade de Gottingen e se dedicou ao estudo da Fenomenologia.Seus estudos de Filosofia a levaram ao conhecimento profundo da Igreja Católica e ela foi batizada em 1922. Aos seus 42 anos, sendo professora universitária e reconhecida filósofa, deixou sua profissão para vestir o hábito carmelita no convento de Colônia, tomando o nome de Teresa Benedita da Cruz. Foi canonizada por João Paulo II em 11 de outubro de 1998. (SP)

Fonte:www.cot.org.br

Começam conversões da JMJ

SYDNEY, segunda-feira, 14 de julho de 2008 (ZENIT.org).-
A JMJ já está trazendo conversões para a Igreja Católica, e ainda nem começou.
A coordenadora da comunidade católica polonesa da JMJ em Sydney, de 24 anos, explicou à Zenit que seu namorado não-católico está participando do Rito de Iniciação Cristã para Adultos. Sua conversão surgiu da experiência de rezar com ela pelos frutos da JMJ.
«Ele está participando da JMJ comigo e espero que a semana de eventos e a solidariedade com muitos católicos de todo o mundo o façam se sentir orgulhoso de fazer parte da família católica», disse Basia.
Ela estava com um grupo de jovens poloneses-australianos vestidos de uniformes tradicionais de dança polonesa na veneração da cruz da JMJ e do ícone no Belmore Park.
Com peregrinos internacionais já trazendo movimento à vida de Sydney, Basia crê que o evento trará nova vida à Igreja na Austrália e uma nova energia.
«Temos igrejas pequenas e vibrantes na Austrália, mas precisamos que estejam vivas para as futuras gerações», disse.
Basia afirmou que os jovens buscam Bento XVI assim como buscavam o Papa João Paulo II, que começou a JMJ.
Ela disse que o interesse do último pontífice pela vida da juventude continua guiando a fé dos jovens, especialmente na Polônia.
«[Karol Wojtyla] estava na verdade triste quando lhe foi pedido que se tornasse o próximo arcebispo de Cracóvia, porque isso significaria deixar seu trabalho diário com a juventude em sua paróquia, disse. Mas quando ele se tornou Papa, manteve seu amor à juventude, mesmo durante sua doença. Havia algo em seus olhos e em sua voz que atraía os jovens a ele.»
Basia lidera um forte grupo de 200 jovens registrados para a JMJ em Sydney, e disse que os peregrinos da Irlanda, Canadá, Polônia e mesmo do Oeste da Austrália se uniram a eles.
«Somos grandes admiradores de João Paulo II e compreendemos o grande impacto que ele representou para cada um de nós e para o mundo», disse Agnieszka (Agnes) Jaszczyszyn, 34 anos, a outra líder de peregrinação do grupo.
Mas o Papa atual não está jamais longe de seus pensamentos, e continuam orando pelo sucesso de sua missão na Austrália. «É por causa do Papa Bento XVI que temos a JMJ 2008 em Sydney – ele manteve a tradição», disse ela. «Os jovens do mundo estão aqui por causa dele.»
Chegada
As ruas de Sydney ficaram lotadas com os peregrinos, esperando para testemunhar a Cruz da JMJ e o ícone.
A cruz da JMJ foi dada aos jovens do mundo por João Paulo II, em 1984, para ser carregada como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade; o ícone de Nossa Senhora foi seu segundo presente para os jovens, em 2003, para acompanhar a cruz.
A última passagem dos símbolos pelas ruas de Sydney foi o cume da viagem global. Depois de atravessar os continentes, os símbolos foram entregues aos australianos no Palm Sunday 2006, em Roma.
Centenas de peregrinos seguiram a cruz e o ícone do Manly ao Circular Quay, depois seguiram ao centro comercial de Sydney pela Pitt Street, passaram pela Sydney Tower, até chegar ao Belmore Parl. Lá, todo peregrino teve a chance de venerar a cruz e o ícone.
Foi a última passagem da cruz e do ícone antes das imagens fazerem parte do cenário na Missa de abertura na Quinta-Feira, às 16h (horário local). A Missa será presidida pelo cardeal George Pell, de Sydney, no Barangaroo, um porto no East Darling Harbor. Fonte: www.zenit.org

Brasil é candidato a sediar a Jornada Mundial da Juventude

Sydney, 17 jul (RV) - O Brasil é um dos candidatos a abrigar o Dia Mundial da Juventude (DMJ) de sua edição 2014-2015 (o ano ainda não foi definido). Segundo informações não oficiais, o próximo DMJ, em 2011, poderá ser realizado na Espanha. O anúncio oficial será feito por Bento XVI na missa de encerramento, no dia 20 de julho.
A candidatura do Brasil foi anunciada hoje pelo padre dehoniano Anísio José, que está em Sydney.

Fonte: www.radiovaticana.org

12 jovens do mundo compartilham a mesa com Bento XVI




“Foi como um Pai, querendo nos escutar e saber de nossas vidas”
SYDNEY, 18 Jul. 08 / 05:38 am (ACI).- “Não se por que me escolheram mas lhe agradeço ao Espírito Santo por isso” foram as palavras de Armando Cervantes, americano de pais latinos, ao lhe perguntar qual foi a razão para que o escolhessem entre os jovens de todo o mundo para desfrutar de um almoço com o Papa em sua estadia durante a JMJ 2008 em Sydney. “Chamaram-me da conferência episcopal me perguntar se queria almoçar com o Papa e obviamente aceitei o convite”, relatou Armando a ACI Prensa. Armando, junto com outros 11 jovens dos Estados Unidos, Austrália, Espanha, Papua Nova Guiné, Timor Oriental, Nigéria, Congo, Brasil, França, Austrália e Coréia, teve a sorte de ser eleito para desfrutar de um almoço com o Papa na Casa da Catedral de Saint Mary na sexta-feira a meio-dia no contexto da JMJ 2008. “Estávamos os doze parados fora, nervosos sem saber o que dizer. Disseram-nos que estaríamos com o Papa em poucos minutos e quando apareceu nos enchemos de alegria”. “Foi como um Pai, querendo nos escutar e saber de nossas vidas -descreveu Armando -. Só queria saber de nós. Queria inteirar-se o que fazíamos, o que estudávamos, o que fazíamos na Igreja; queria genuinamente conhecer de nossas vidas”. O jovem descreveu sua experiência como a de estar em família: “parecia que fôssemos uma família sentada à mesa, cada quem falando do que faz”. Contou que o Papa falou todo o tempo em inglês mas quando se dirigia a cada um o fazia em português, espanhol e francês, segundo o idioma do país de que provinha o jovem. “Uma das coisas que me impressionou mais é que um deles lhe perguntou se podíamos sair a lhe dar nossos presentes e ele disse: “Eu estou preparado e disposto a ir aonde os jovens vão”. "Há um amor profundo que tem para os jovens e embora não nos conhecesse, estava preparado para nos conhecer, para nos amar, para rezar por nós”. Por sua parte, Fidel Mateo Rodríguez, de 25 anos, quem foi eleito como representante da Espanha, descreveu a experiência como”comovente”. "Basicamente nos escutou, sobre nós, nossa vida e preocupações”, disse a ACI Prensa, depois de mencionar que o Papa se mostrou interessado na situação da Ásia e África. Ao lhe perguntar no momento mais especial do almoço não duvidou em dizer: "a entrega de presentes". Ele lhe levou um Rosário em prata de Salamanca, e uma imagem do Apóstolo Santiago de Compostela. “Foi um momento muito próximo”. Disse que o presente mais original foi um gorro de Mickey Mouse que lhe deu a delegação dos Estados Unidos. “Não o colocou, mas o acolheu com muita graça”, disse enquanto sorria.
Fonte: ACI

Mensagem do Papa Bento XVI


"Recordo sempre com grande alegria os vários momentos transcorridos juntos em Colônia, em Agosto de 2005. No final daquela inesquecível manifestação de fé e de entusiasmo, que permanece impressa no meu espírito e no meu coração, marquei encontro convosco para a próxima reunião que terá lugar em Sydney em 2008. Será a XXIII Jornada Mundial da Juventude e terá como tema: "Ides receber uma força, a do Espírito Santo, que descerá sobre vós e sereis minhas testemunhas" (Act 1, 8). O fio condutor da preparação espiritual para o encontro de Sydney é o Espírito Santo e a missão. Se em 2006 paramos para meditar sobre o Espírito Santo como Espírito de verdade, em 2007 procuramos descobri-lo mais profundamente, como Espírito de amor, para nos encaminharmos depois rumo à Jornada Mundial da Juventude de 2008, refletindo acerca do Espírito de fortaleza e testemunho, que nos dá a coragem de viver o Evangelho e a audácia para o proclamar. Por isso, é fundamental que cada um de vós, jovens, na comunidade e com os educadores, possa refletir sobre este Protagonista da história da salvação, que é o Espírito Santo ou Espírito de Jesus, para alcançar estas altas finalidades: reconhecer a verdadeira identidade do Espírito, em primeiro lugar ouvindo a Palavra de Deus na Revelação da Bíblia; tomar uma consciência límpida da sua presença contínua e ativa na vida da Igreja, em particular redescobrindo que o Espírito Santo se põe como "alma", sopro vital da própria vida cristã, graças aos sacramentos da iniciação cristã Batismo, Confirmação e Eucaristia; tornar-se assim capaz de amadurecer uma compreensão de Jesus cada vez mais profunda e alegre e, contemporaneamente, de realizar uma prática eficaz do Evangelho no alvorecer do terceiro milênio. Com esta mensagem, ofereço-vos de bom grado um percurso de meditação para aprofundar ao longo deste ano de preparação, no qual verificar a qualidade da vossa fé no Espírito Santo, reencontrá-la se foi perdida, revigorá-la se está debilitada e saboreá-la como companhia do Pai e do Filho Jesus Cristo, precisamente graças à obra indispensável do Espírito Santo. Nunca esqueçais que a Igreja, aliás a própria humanidade, a que vos circunda e a que vos aguarda no futuro, espera muito de vós, jovens, porque tendes em vós o dom supremo do Pai, o Espírito de Jesus. "