domingo, 8 de junho de 2008

Ven. Maria Josefina de Jesus Crucificado
No dia 17 de dezembro de 2007 o Santo Padre Bento XVI autorizou a promulgação do Decreto sobre um milagre atribuído à intercessão da Venerável Maria Josefina de Jesus Crucificado. Sua beatificação terá lugar em Nápoles, com data a ser fixada entre o Cardeal Arcebispo de Nápoles e a Secretaria de Estado. Josefina Catanea nasceu em Nápoles aos 18 de fevereiro de 1894. Em maio de 1904 fez sua Primeira Comunhão e recebeu o sacramento da Crisma. Durante sua adolescência viveu de modo irrepreensível, tanto desde o ponto de vista da fé e bons costumes, como por obras de caridade que praticou. Aos 10 de março de 1918 foi ao recém fundado Mosteiro de Ponti Rossi, na mesma cidade de Nápoles, onde se encontrava sua irmã mais velha, Antonietta, já carmelita, para participar da novena em preparação à Festa de São José. Por diversas circunstâncias não regressou á casa paterna, permanecendo no Mosteiro. Sendo muito ativa e trabalhadora, era, porém frágil de saúde e sofreu de diversas enfermidades. No dia 24 de novembro de 1918 uma gripe a levou às portas da morte, sarou milagrosamente por intercessão de São José. Aos 6 de junho de 1922 a Serva de Deus padeceu ataques do coração; a partir do dia 10 de agosto começaram os sofrimentos mais graves; no dia 26 de junho do ano seguinte, levaram-lhe o braço de São Francisco Xavier e, ao tocar a relíquia, ficou curada. Aos 30 de maio de 1933 vestiu o hábito de Carmelita Descalça no Mosteiro dos Santos José e Teresa, aprovado canônicamente em 1932 como Mosteiro da Segunda Ordem dos Carmelitas Descalços. Aos 6 de agosto de 1933 professou e recebeu o Véu. Não obstante sua condição física, em 2 de abril de 1934 foi nomeada Sub-priora; em 6 de agosto de 1945 Vigária; aos 29 de setembro de 1945 foi eleita Priora, apesar de que podia mover-se apenas em uma cadeira de rodas. Morreu em 14 de março de 1948. A grande fama de santidade, e o fato de que seu corpo, insepulto durante 13 dias em virtude da grande afluência de fiéis, não mostrou nenhum sinal de corrupção, moveu as autoridades competentes a iniciar sua Causa de Canonização, celebrando o Processo Ordinário entre 27 de dezembro de 1948 a 18 de fevereiro de 1952. O Decreto sobre a heroicidade das virtudes foi promulgado em 3 de janeiro de 1987.
Postar um comentário